terça-feira, 5 de abril de 2016

Onde fui parar?!

O que aconteceu comigo?! Me pergunto várias vezes. Parece que fiquei com baixa imunidade para os problemas da vida. Me desconheço. Procuro várias vezes aquela menina simples, sem muitas ambições, mas cheia de sonhos e com um sorriso sem graça no rosto. Que mesmo quando tudo apertava, continuava solta e leve. Onde eu fui parar com essa minha ansiedade, esse desejo incontrolável de querer controlar a minha vida sem conseguir sequer sair do lugar. Fiquei exigente comigo e com as pessoas. Se não for do meu jeito e na minha hora eu não quero mais. Enquanto não resolvo, não durmo, não começo e não me convenço. Enquanto não falo, engordo de tristeza e me explodo de impulsividades. Estou achando meus pedaços em cada canto pelos lugares que nunca passei. Onde foi parar a minha delicadeza dos momentos ruins que tanto superei? Quero de volta a minha leveza para poder voar, e se cair superar. Quero de volta a minha paciência de conseguir viver cada dia de uma vez, sem perder a esperança e sem atropelar quem me ama.
Maíra Cintra

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Não depende só de mim.


Sei que muitas coisas dependem de mim, mas todos nós sabemos que muitas outras coisas dependem do mundo a nossa volta. Nem tudo é tão fácil como dizem por aí, e quando percebemos que não é tão fácil quanto pensávamos, nos resta termos paciência, esperança e fé. Na maioria das vezes não nos falta coragem, nem vontade, muitas vezes nos falta opção e estabilidade para seguirmos em frente.
São tantas pedradas que temos que desviar e obstáculos que temos que passar, que o tempo vai nos mostrando que cada dificuldade, mesmo que pareça igual, nos ensinam coisas totalmente diferentes. A gente assusta, mas somos obrigados a passarmos por cima de cada uma delas. A cada mentira, a cada puxada de tapete, a cada traição é um pouco da nossa energia que vai embora, temos que ir nos recuperando com coisas boas no meio do caminho e aprender a não levar isso como bagagem. 
Eu não sou abrigada a dizer que estou feliz o tempo todo, pois seria uma grande mentira. E eu também não sou obrigada a dizer "sim" contra a minha vontade, seria injusto depois de receber tantos "nãos'. Depois de tantas más vontades que já engoli, hoje aprendi a dizer o que penso e o que eu tenho ou não tenho vontade de fazer. 
Não pense você que muitas coisas que não deram certo comigo foi simplesmente minha culpa. Não pense que não lutei para não cair, que não segurei a barra para não desanimar e que não me equilibrei quando tentavam me empurrar. Não julgue sem saber. Foram tantas as tentativas que não tenho mais medo de perder.
Às vezes temos que fazer algumas escolhas por pura necessidade de nos manter. É fácil ir levando, o difícil é fazer a nossa mente acreditar que está tudo bem. A luta contra nós mesmos é constante e ainda existem pessoas que aparecem para nos confundir. O que não podemos, de maneira nenhuma é desistir de onde queremos chegar e de perder a consciência de onde estamos. Podemos desistir de todos, mas nunca devemos desistir de ser quem somos. 
 Maíra Cintra

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Novo tempo.



Um novo tempo de esperanças começa. Um número a mais, com responsabilidade maiores, com algumas coisas a menos e com a bagagem pronta para ser preenchida novamente. É o começo de novos projetos, de novas promessas e de objetivos. Mas nada acontece se não colocarmos em prática, se não acreditarmos de verdade e se não buscarmos ser melhores.

E a vida segue. Não importa o que obtemos, o que importa é o que deixamos. Tudo isso para dar espaço ao que vamos conquistar daqui pra frente. Isso serve para lembrarmos que a felicidade é um troféu que não se exibe, é algo que guardamos para nós, para compartilharmos junto com as pessoas que amamos. Aquelas que sabem nosso verdeiro valor, sem precisarmos dar algo em troca.

Que este ano nosso sorriso fique mais largo, que o peito fique pequeno para sentimentos bons, que a nossa mente fique aberta para coisas boas e que o nosso corpo não se canse de lutar. Que exalemos fé e paz de espírito. Que saibamos compartilhar positividade e compaixão que faltou no ano que passou.

Que com esse número a mais em  nosso calendário faça-nos aprender que o que era menos agora pode passar a ser mais. Que o dinheiro compre felicidade e não bens materiais, assim, podemos ostentar energia boa e doar amor. Que o perdão seja reciproco mas, se não for, saibamos compreender que nem todas as pessoas pensam iguais.

E eu desejo do fundo do meu coração que este ano seja melhor para todos. Que a calmaria se transforme em epidemia, que explodam bombas de carinho por aí, que tenha uma guerra de igualdade, que compaixão vire doença, que a humildade vire um mosquito e pique todo mundo e que a honestidade vire o governo do nosso pais.

Maíra Cintra

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Dar a volta por cima.


A famosa "volta por cima" é quando você admite que já sofreu demais, quando você fala com tranquilidade e sem raiva de tudo aquilo que já te tirou o sono. É quando você sabe transformar um momento ruim da sua vida o melhor de todos. É saber que tudo passa e tentar fazer de uma pequena fase uma lição de vida. É quando você consegue fazer as pessoas se perguntarem o porque você ainda sorri.

Se ao lembrar daquele relacionamento ruim te faz mal, se você não teve coragem de pedir perdão para um amigo ou alguém da família e isso ainda dói, se seu namorado terminou tudo com você, se foi decepcionada ou traída por alguém que você não esperava, se sente depressiva por estar sem emprego ou por ter perdido uma boa oportunidade, essa é a hora de dar a volta por cima.

Levante-se, vai tomar uma ducha e deixe todo o peso das obrigações que você sente ir embora pelo ralo. Vista-se de esperança e se olhe no espelho com orgulho. Abra a janela e deixe novos ventos entrarem. Ligue e o som e coloque a sua música preferida. Se algo te irritar respire e inspire profundamente toda vez que isso acontecer, confunda a sua mente. Pense em tudo que você ainda possui e esqueça das coisas que se foram. Imagine as oportunidades que estão a sua volta. Lembre-se nas pessoas que ainda conseguem te fazer sorrir e esquecer das coisas que te afligem.

Dê a volta por cima! Saiba transformar suas fraquezas em aprendizados. Suporte os hipócritas e se livre dos falsos. Vivencie suas mágoas para saber falar positivamente delas no futuro. Extrapole seus sonhos. Mantenha-se de pé  mesmo com pedras jogadas na sua direção. Agradeça as pessoas que te rejeitaram, esnobaram e te caluniaram. Transforme suas frustrações em arte. Tenho certeza que você irá servir de exemplo até mesmo para as pessoas que tentaram te derrubar.

Maíra Cintra